26 de fevereiro de 2018 às 13:53

O que é filosofia cristã?

Um filósofo cristão nunca vai contra aquilo que a Igreja professa, antes dá sustentação racional para qualquer questionamento.

Quando um cristão se depara com a filosofia a pergunta inevitável que todos fazem é “O que é filosofia Cristã”, mas quando vamos buscar nos registros históricos percebemos que muitos pensadores cristãos elaboraram uma filosofia racional, mas fundamentada na verdade, sendo assim percebemos que não só existe uma filosofia cristã como também é possível o cristão pensar de forma racional sem colocar de escanteio a fé.

Portanto de inicio podemos dizer que filosofia Cristã se constitui de cristãos pensando de forma racional as verdades da fé.

Um filósofo cristão nunca vai contra aquilo que a Igreja professa, antes dá sustentação racional para qualquer questionamento.

Evidente que por ser cristã uma filosofia não está isenta de erro, pois a razão humana não tem o privilégio de inerrância, ter uma filosofia única e verdadeira é um ideal que não alcançaremos nessa terra, mas isso não nos dá o direito de uma preguiça intelectual a ponto de pararmos de pensar, como um cristão uma vez diz e se tornou titulo de um livro “Crer também é pensar”.

Uma filosofia cristã tem sua origem na influência da consciência da fé, essa influencia não é sistemática, mas de cunho psicológico e podemos dizer que se dá de quatro modos.

Em primeiro lugar a fé preserva a filosofia de muitos erros, pois existem afirmações que toda filosofia cristã rejeita de antemão, pois as mesmas vão contra as verdades da fé revelada, sendo assim a fé traça para a razão certos limites de caráter inviolável. Esse limite não constrange os pensadores cristãos antes eles veem nesse limite um verdadeiro beneficio para a filosofia, pois, essa mesma filosofia fica isenta de erros.

Em segundo lugar a fé propõe algumas metas para o conhecimento racional, pois mesmo limitado pela fé o filósofo cristão se aventura e aprofunda nas verdades reveladas tentando extrair dela as evidências acessíveis ao saber natural, a fim de transformar as convicções religiosas em evidencias racionais.

Em terceiro lugar a fé determina a atitude e desejo de conhecer, pois todo o ser humano tem em seu intimo perguntas cruciais e inquietantes tais como “Quem sou eu? Deus existe? se existe quem é ele? e a morte é o fim para o ser humano?”. Essas perguntas são de cunho filosófico, e o filósofo cristão tentará responder, sabendo que as respostas ele  encontrar na fé mas também  lhe dará contornos racionais acessíveis  não só ao coração mas também a mente. Diferente dos filósofos modernos e contemporâneos que sempre estão revisitando os conceitos por não terem certeza de seus fundamentos, diferente deles o filosofia cristão sabe que os seus pressupostos tem como base a fé e não precisa de uma revisão drástica, mas uma adequação aos problemas de cada época.

Em quarto lugar a fé determina o sentido do labor filosófico, pois, o pensador cristão enxerga a filosofia como uma tarefa religiosa porque em ultima instancia a meta do filosofo cristão é Deus e sua verdade eterna, sendo assim o seu labor filosófico é um pôr-se a serviço da “edificação” no sentido paulino do termo.

A filosofia cristã tem como características nortear-se pela a tradição, ou seja, não pretende destruir o que já foi feito e erguer um novo edifício, antes reconhece a importância dos seus antecessores e, portanto deseja contribuir levando a diante as obras filosóficas do passado.

O que podemos dizer até aqui é que em primeiro lugar a filosofia cristã existe em segundo lugar essa filosofia tem como base a fé revelada, em terceiro essa filosofia deseja se aprofundar nas questões ultima da vida, e em quarto lugar essa filosofia tem como meta as verdades eternas que é Deus.

Existe entre alguns cristãos da atualidade uma concepção equivocada de que a filosofia é prejudicial à fé, mas isso não é verdade, antes a filosofia concede a fé um suporte racional que a fé necessita nesse caso todos que se engajam em estudar a filosofia cristã obterá um fundamento racional para expor de forma dirigente a sua fé em meio a um mundo cada vez mais secular, descrente e que não encontra sentido na vida. Mas também poderá comparar com as filosofias antiga, moderna e contemporânea e conseguirá vislumbrar o quanto os pressupostos da filosofia cristã têm respostas mais objetivas para os problemas da humanidade.

Por Professor Cleber Paixão

Fonte: GospelPrime

comentários

Estúdio Ao Vivo